Donald Trump condena perseguição aos cristãos na Nigéria

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu na segunda-feira (1) seu homônimo da Nigéria, Muhammadu Buhari, na Casa Branca.

Trump falou sobre a perseguição aos cristãos no país africano. “Trabalhamos neste problema porque não podemos aceitar esta situação”, disse, referindo-se ao ataque de jihadistas contra uma igreja em 24 de abril, que matou 18 pessoas.

O presidente norte-americano cobrou medidas eficazes do governo da Nigéria, para que impeça os ataques sistemáticos dos muçulmanos fulani e do Boko Haram.

Apesar das justificativas de que se tratam de conflitos étnicos, há registros de que os fulani usem fuzis AK47 e que os ataques são estimulados por uma clara motivação religiosa.

Donald Trump criticou a apatia do governo durante a coletiva de imprensa, deixando o presidente nigeriano Muhammadu Buhari visivelmente constrangido:

Estamos profundamente preocupados com a violência religiosa na Nigéria, incluindo a queima de igrejas, o assassinato e a perseguição de cristãos. É uma história horrível.

De acordo com informações da Gospel Prime:

O republicano afirmou em seguida:”Encorajamos os líderes da Nigéria a fazerem tudo o que estiver ao seu alcance para proteger imediatamente as comunidades afetadas e proteger civis inocentes de todas as religiões”.

Além dos ataques dos fulani, nos últimos anos os jihadistas do Boko Haram perseguem cristãos sobretudo na região norte do país, onde declararam seu “califado”. A atividade extremista islâmica na Nigéria já fez com que mais de 3 milhões de pessoas tenham sido forçadas a deixar suas casas.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *