Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Donald Trump pede que ONU pare de promover aborto

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Donald Trump pede que ONU pare de promover aborto

“Os burocratas não têm motivo para atacar a soberania das nações que querem proteger a vida dos inocentes”, disse Trump em discurso na ONU.

O governo dos Estados Unidos apresentou à Organização das Nações Unidas (ONU) uma declaração conjunta dizendo que não existe “direito internacional” ao aborto.

A administração Donald Trump também pediu que a ONU pare de usar eufemismos para descrever o aborto em seus documentos oficiais.

Em seu discurso na tarde de terça-feira (24), na Assembleia Geral da ONU, o chefe da Casa Branca falou do desejo de seu governo de impedir que os EUA promovessem o aborto no exterior:

“Sabemos que muitos projetos das Nações Unidas tentam estabelecer o aborto financiado pelo contribuinte como um direito mundial. Os burocratas não têm motivo para atacar a soberania das nações que querem proteger a vida dos inocentes.”

Na última segunda-feira (23), em discurso numa reunião do órgão, Alex Azar, secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, afirmou:

“Não apoiamos referências a termos e expressões ambíguos, como saúde e direitos sexuais e reprodutivos nos documentos da ONU, porque eles ignoram o papel da família e promovem práticas como o aborto.”

E, segundo o jornal Gazeta do Povo, acrescentou:

“Não existe direito internacional ao aborto e esses termos não deveriam ser usados para promover políticas e medidas pró-aborto”.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email