Português   English   Español

‘É difícil ligar Bolsonaro a crime no caso do WhatsApp’, diz jornal

É difícil ligar Bolsonaro a crime no caso do WhatsApp

É difícil configurar, até o momento, um eventual crime passível de impugnação da chapa encabeçada pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, no caso relatado pelo jornal Folha de S.Paulo.

Reportagem publicada na Folha nesta quinta-feira (18) relata que empresários têm bancado a compra de distribuição de mensagens contra o PT por Whatsapp, em uma prática que se chama pacote de disparos em massa de mensagens, e estariam preparando uma operação para a próxima semana, antes do segundo turno.

Uma fonte do Ministério Público com larga experiência em redes sociais conversou com a Reuters sobre esta questão.

A fonte, que pediu para não ser identificada, disse que é preciso, além das provas de atuação das empresas em favor de um candidato, demonstrar a ligação direta de quem atuou dessa forma e a campanha beneficiada.

Na avaliação da fonte, o valor de R$ 12 milhões mencionado pela Folha para se impulsionar conteúdo via essa rede social é irreal.

A coligação encabeçada pelo petista Fernando Haddad, adversário de Jair Bolsonaro no segundo turno, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de investigação sobre o conteúdo da reportagem e, caso os fatos sejam comprovados, a inelegibilidade de Bolsonaro.

 

Adaptado da fonte ISTOÉ

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...