Ecólogos alertam para esgotamento da Mata Atlântica

Idiomas:

Português   English   Español
Ecólogos alertam para esgotamento da Mata Atlântica
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Um dos ecossistemas mais ricos da América do Sul foi reduzido a um décimo do que era antes e o número de espécies de mamíferos que habitam o local despencou pela metade, perdendo aproximadamente 44% dos mamíferos.


A floresta tropical de imensa riqueza biológica que foi a Mata Atlântica, atualmente é uma das “mais vazias” do mundo, declaram ecólogos em artigo publicado na revista PLOS One, onde cita a atual situação dos mamíferos do ecossistema, que é o segundo mais importante do Brasil depois da floresta Amazônica.

Sendo um caso igual ao das florestas úmidas da bacia do rio Amazonas, no qual a redução da biodiversidade nas regiões mais próximas do litoral sudeste do Brasil está relacionada ao crescente desmatamento. A superfície das matas atlânticas pode ser encontrada em 10% do território original, que correspondia a 1,1 milhão de km², e hoje corresponde a apenas 143 mil km².

Diante da situação, todas as grandes e médias espécies de mamíferos estão expostas à ameaça de extinção. Ecólogos compararam os registros da biodiversidade publicados nos últimos 30 anos com os dados referenciais dos tempos do Brasil colonial, o resultado não foi dos mais otimistas já que mais da metade das espécies de mamíferos da floresta deixaram de existir, desde o período colonial.

O motivo dessa grande perda tem sido as diversas atividades humanas, como o desmatamento, a agricultura e a caça. Os animais mais vulneráveis são os superpredadores e os grandes carnívoros como onças-pintadas e suçuaranas, assim como os grandes herbívoros, como os tapires.

Atualmente, “a diversidade de mamíferos da outrora majestosa Mata Atlântica foi reduzida em grande parte a uma sombra pálida de seu antigo eu”, sem contar a falta habitat aos animais, o que deixa os animais encurralados em um vórtice aberto de extinção, declarou o ecólogo brasileiro, Juliano André Bogoni, o primeiro autor do estudo, ao site da Universidade de Anglia Oriental, no Reino Unido, que também participou do estudo.

 

Adaptado da fonte Sputnik Brasil

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

Veja também...