Economista ligado a Alckmin é alvo da PF na Operação Zelotes

Oito pessoas e duas empresas são investigadas nesta fase da Operação Zelotes que apura desvios de R$ 900 milhões dos cofres públicos.

A Polícia Federal deflagrou a 10.ª fase da Operação Zelotes, que apura irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) do Ministério da Fazenda, nesta quinta-feira (26).

Oito pessoas e duas empresas são investigadas nesta fase da operação, segundo o Ministério Público Federal (MPF). Os prejuízos ultrapassam R$ 900 milhões.

Roberto Giannetti da Fonseca, um dos principais conselheiros econômicos do candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, foi um dos alvos da Operação Zelotes.

“Ele é suspeito de receber pagamentos de R$ 2,2 milhões para atuar para favorecer a empresa Paranapanema em processo no Carf”, segundo informações da Gazeta do Povo.

De acordo com O Antagonista, Giannetti também era coordenador-geral do programa de governo de João Doria.

Em ritmo de campanha, Geraldo Alckmin tentou se afastar Giannetti, dizendo que o alvo da Zelotes nunca fez parte de sua campanha.

Porém, o jornal Estadão mostrou que o economista foi o idealizador de um manifesto que seria apresentado por Geraldo Alckmin em 15 de agosto e que “o próprio ex-governador teve acesso ao documento”.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia