Egito restringe venda de coletes amarelos para evitar protestos como os da França

Idiomas:

Português   English   Español
Egito restringe venda de coletes amarelos para evitar protestos como os da França
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O governo do Egito teme que as cenas de milhares de pessoas vestindo coletes amarelos protestando contra o presidente da França possam estimular atos no país do Oriente Médio.

As autoridades do Egito restringiram a venda de coletes amarelos no país.

O governo teme que opositores possam se inspirar no movimento que tem levado milhares às ruas na França e fazer grandes manifestações no aniversário de sete anos da Primavera Árabe, em janeiro.

O governo instruiu os vendedores de equipamentos de proteção a não oferecer os coletes amarelos para compradores que entrarem na loja e restringir o comércio da peça para companhias que tenham permissão da polícia para a compra.

As instruções foram passadas por agentes da polícia em uma reunião com importadores de produtos de segurança para a indústria e vendedores, no Cairo, nesta semana.

Os comerciantes foram alertados que quem violar as regras será punido, disseram as autoridades egípcias, sem dar mais detalhes.

A agência “Associated Press” procurou seis lojas em uma região do Cairo que concentra este tipo de comércio, e todas disseram não vender mais a peça.

Adaptado da fonte Folha

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque