Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Eleitores da França querem banir o salafismo

João Guilherme

João Guilherme

COMPARTILHE

Corrente ultraconservadora do Islamismo sunita, o salafismo prega a aplicação da lei da sharia e defendem outras formas de extremismo.

Uma pesquisa divulgada no último sábado (31) mostra que 88% dos eleitores franceses apoiariam o banimento do salafismo.

Os salafistas praticam uma versão ultraconservadora do Islã e já são considerados o grupo islâmico que mais cresce na Europa, além de apoiarem fortemente a lei da sharia.

A pesquisa feita pela Odoxa, após um ataque terrorista muçulmano que deixou 4 mortos e 15 feridos, revelou que a grande maioria das pessoas quer que o presidente da FrançaEmmanuel Macron, tome medidas mais firmes contra o extremismo islâmico.

A pesquisa mostrou que 87% das pessoas querem que aqueles suspeitos de radicalizar pessoas sejam presos preventivamente, enquanto 88% foram a favor de banir o salafismo sem pensar duas vezes.

Outra pesquisa, desta vez realizada pela Elabe, mostrou que 80% das pessoas apoiariam a expulsão de cidadãos estrangeiros que foram radicalizados. Ela também mostrou que mais da metade dos eleitores franceses acham que o presidente Macron não está fazendo o suficiente para lidar com a ameaça que o país enfrenta.

A ex-candidata à presidência, Marile Le Pen, e a líder conservadora Laurent Wauquiez já pediram a expulsão de todos os cidadãos vindos de fora que estejam na “lista-S”. A estimativa é de que 20,000 pessoas estejam sendo vigiadas por suspeita de ligação com o terrorismo.

No ano passado, o portal Westmosnter reportou a crescente onda de franceses salafistas se mudando para Birmingham, onde eles podem viver segregados do resto da cidade.

“Eu vim para cá por liberdade. As crianças não sabiam que meninas não eram autorizadas a usar o véu na escola (na França), que não haviam pratos árabes na cantina. Elas ficaram chocadas.”, disse Kalim, salafista, à revista L’Obs.

A segregação e a falta de integração não fazem nada além de prejudicar a sociedade. As pessoas já foram obrigadas a aguentar muito da ameaça terrorista islâmica na Europa. É hora de cortar o mal pela raiz.

 

Traduzido e adaptado de Westmonster
- PUBLICIDADE -
Error: Embedded data could not be displayed.
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM
Error: Embedded data could not be displayed.