Em votação inédita, UE ataca governo direitista da Hungria

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

União Europeia não conseguiu ficar de braços cruzados após o premiê da Hungria, Viktor Orbán, expulsar as organizações de George Soros do país e se posicionar contra a política globalista de fronteiras abertas.

Legisladores da União Europeia (UE) votaram a favor do lançamento de uma ação contra o governo direitista da Hungria, liderado pelo primeiro-ministro Viktor Orban.

Para os eurodeputados, o país representa um “risco claro de violação grave dos valores” do bloco e do estado de direito, violando o Artigo 7 do Tratado Europeu.

A votação ocorreu nesta quarta-feira (12) e resultou no apoio massivo a um relatório recomendando o acionamento do Artigo 7, que poderia levar à suspensão dos direitos de voto da Hungria na UE.

O resultado foi de 448 votos a favor do documento e 197 contra.

Um dia atrás, nesta terça-feira (11), o premiê húngaro afirmou que não iria se curvar às “ameaças e chantagens” da UE.

Além das divergências nas questões migratórias, a medida dos globalistas europeus é uma clara resposta ao embate entre Orban e o bilionário George Soros.

Nos últimos meses, o governo direitista húngaro também passou a classificar ONGs incentivando a imigração ilegal como “agentes estrangeiros”, limitando a atuação desta organizações no país.

Adaptado da fonte Estadão

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.