Em votação inédita, UE ataca governo direitista da Hungria

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

União Europeia não conseguiu ficar de braços cruzados após o premiê da Hungria, Viktor Orbán, expulsar as organizações de George Soros do país e se posicionar contra a política globalista de fronteiras abertas.

Legisladores da União Europeia (UE) votaram a favor do lançamento de uma ação contra o governo direitista da Hungria, liderado pelo primeiro-ministro Viktor Orban.

Para os eurodeputados, o país representa um “risco claro de violação grave dos valores” do bloco e do estado de direito, violando o Artigo 7 do Tratado Europeu.

A votação ocorreu nesta quarta-feira (12) e resultou no apoio massivo a um relatório recomendando o acionamento do Artigo 7, que poderia levar à suspensão dos direitos de voto da Hungria na UE.

O resultado foi de 448 votos a favor do documento e 197 contra.

Um dia atrás, nesta terça-feira (11), o premiê húngaro afirmou que não iria se curvar às “ameaças e chantagens” da UE.

Além das divergências nas questões migratórias, a medida dos globalistas europeus é uma clara resposta ao embate entre Orban e o bilionário George Soros.

Nos últimos meses, o governo direitista húngaro também passou a classificar ONGs incentivando a imigração ilegal como “agentes estrangeiros”, limitando a atuação desta organizações no país.

Adaptado da fonte Estadão

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as últimas notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque