Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Empresas estariam transferindo atividades da Argentina para o Brasil

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Empresas transferem fábricas da Argentina para o Brasil

“A nova confiabilidade do investidor vem para gerar mais empregos e maior giro econômico em nosso país”, celebrou Bolsonaro.

Enquanto a esquerda peronista prepara-se para voltar ao poder na Argentina, multinacionais importantes estariam deixando, discretamente, o mercado do país sul-americano nos últimos meses.

Entre as empresas que estariam reduzindo as atividades no país estão a montadora japonesa Honda, a fabricante de motores MWM e a gigante de bens de consumo Kimberly-Clark, segundo informações do jornal Estado de Minas.

Além da redução de quadro de funcionários e fechamento de alguns turnos de trabalho, as quedas consecutivas nas vendas obrigam as companhias a deixar a Argentina e a transferir as atividades para mercados da região, principalmente o Brasil, ainda de acordo com o jornal.

Em postagem no Twitter, nesta quarta-feira (6), o presidente da República, Jair Bolsonaro, celebrou a movimentação das empresas.

“A nova confiabilidade do investidor vem para gerar mais empregos e maior giro econômico em nosso país”, celebrou Bolsonaro.

Horas depois, Bolsonaro apagou o post. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, duas das três multinacionais citadas pelo chefe do Executivo disseram não estar fechando empresas no país:

“A Honda não está fechando sua fábrica na Argentina, mas sim manterá suas operações no país como estava previsto. A partir de 2020, concentrará sua produção na linha de motocicletas. A divisão de automóveis também continuará no país com os modelos provenientes do exterior.

Já a fábrica de motores MWM Argentina, sim, fechou sua fábrica em Córdoba no mês passado, mas afirma que isso não tinha relação com a vitória do kirchnerismo nas eleições e que seriam mantidas, na Argentina, a assistência técnica e a distribuição de peças de reposição.

A L’Oreál afirmou não ter previsto o fechamento de nenhuma fábrica na Argentina.”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email