Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Enquanto censura Trump, Twitter permite ódio contra Israel

COMPARTILHE

“O regime sionista é um câncer mortal e um prejuízo para esta região”, disse líder iraniano no Twitter.

A rede social Twitter não fornece nenhuma explicação razoável sobre o que que define como “glorificação da violência”, mas utilizou esse argumento para censurar, nesta sexta-feira (29), tuítes do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Casa Branca.

Apesar de não ter excluído as publicações, a plataforma impôs restrições na visualização do conteúdo.

Enquanto isso, o Líder Supremo do Irã, Ali Khamenei, tem a liberdade de ameaçar Israel sem maiores preocupações.

Em tuíte publicado no dia 22 de maio, por exemplo, Khamenei escreveu:

“O regime sionista é um câncer mortal e um prejuízo para esta região. Sem dúvida, será extirpado e destruído.”

A incoerência no comportamento dos checadores de fatos do Twitter foi apontada em publicação da própria Casa Branca.

“Twitter determinou que permitirá que terroristas, ditadores e propagandistas estrangeiros abusem de sua plataforma”, escreveu a Casa Branca.

O perfil oficial do governo norte-americano também compartilhou um tuíte contendo uma série de ataques do líder do Irã contra Israel.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários