Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Enquanto Maia e Gilmar aplaudem, Bolsonaro critica ação do Facebook

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Enquanto Maia e Gilmar aplaudem, Bolsonaro critica ação do Facebook
COMPARTILHE

“Por que essa perseguição?”, questionou o presidente Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, criticou a derrubada de páginas no Facebook associadas a alguns de seus aliados. 

A ação de remoção de conteúdos também aconteceu no Canadá, Equador, Ucrânia e Estados Unidos.

Em live na rede social, nesta quinta-feira (9), Bolsonaro criticou:

“Está em voga a derrubada de páginas do Facebook no mundo, né, e no Brasil sobrou para quem? Para quem está do meu lado, para quem é simpático à minha pessoa, e parece que a esquerda fica aí posando de moralista, de propagadores da verdade, etc.”

E acrescentou:

“É o tempo todo acusando ódio… o que eu ganharia agora acusando quem quer que seja no Brasil de qualquer coisa, não existe nada no tocante a isso, zero. Por que essa perseguição?”

Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vinculou a ação do Facebook ao projeto de lei das fake news, mais conhecido como “PL da Censura”, que foi aprovado pelo Senado e está em tramitação na Câmara:

Em live promovida pelo BTG, segundo o portal Terra, Maia celebrou:

“Essa é uma lei que não está nem aprovada e já deu resultados. Ontem [quarta-feira (8)], o Facebook fez uma operação. Quando a gente discute de forma correta, independentemente de se o texto é bom ou pode ser aprimorado, como é que a discussão de uma matéria que está preocupando tantos brasileiros pode dar resultados? Quando as próprias plataformas começam a ver que têm responsabilidade.”

Através de mensagem no Twitter, também nesta quinta, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou que a decisão do Facebook “demonstra a relevância do trabalho desenvolvido no chamado inquérito das fake news”.

“Disseminar o ódio e incentivar ataques às instituições do país são atitudes que não podem ser toleradas em uma democracia”, acrescentou o ministro.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM