PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Epidemiologista celebra estratégia da Suécia contra coronavírus

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

A estratégia sueca contrariou as políticas recomendadas pela OMS e adotadas pela maior parte da comunidade internacional. 

Enquanto as nações mundo afora adotavam intensas medidas restritivas para frear o coronavírus, o governo da Suécia proibiu apenas aglomerações de mais de 50 pessoas e visitas em asilos, além de ter fechado escolas de ensino médio e universidades.

A estratégia sueca fez do epidemiologista Anders Tegnell, chefe da Agência de Saúde Pública, um dos escandinavos mais famosos do mundo atualmente.

Elogiado e criticado por não impor quarentena na Suécia, Tegnell é o arquiteto do modelo que levou o país a manter uma vida quase normal durante a pandemia, porém com muito mais casos que seus vizinhos.

Em entrevista à agência ANSA, o médico declarou:

“Não acho que precisávamos de lockdown na Suécia. Não teria feito tanta diferença, especialmente nos contágios nos asilos. Impor o lockdown não teria mudado a situação, existem muitas outras medidas, mais suaves, que podem ser utilizadas.”

Tegnell acrescentou:

“Até agora, acredito que, mesmo considerando as mortes em excesso, tenha funcionado. As pessoas seguiram nossas indicações, e fizemos com que o serviço sanitário tratasse todos aqueles que precisavam, não apenas doentes com Covid-19.”

E completou:

“Cada morte é uma imensa tristeza, é algo terrível ver um grande número de pessoas morrerem, mas há outros aspectos a serem levados em conta, como os danos que ocorrem em nível social em longo prazo.”

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.