Equador confirma execução de 3 jornalistas por forças das FARC

Idiomas:

Português   English   Español
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.
Capa: Rodrigo Buendia / AFP

O governo da Colômbia vê o episódio como um claro golpe ao acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).


O presidente do Equador, Lenín Moreno, confirmou que os três membros da equipe de reportagem sequestrada na fronteira com a Colômbia foram assassinados. O Exército colombiano apontou os dissidentes comandados pelo equatoriano Walter Artízala, conhecido como Guacho, como responsáveis pela ação criminosa.

O governo tinha dado um ultimato de 12 horas, que expirou às 13h (horário de Brasília) desta sexta-feira, para que os sequestradores se manifestassem a respeito do estado das vítimas.

De acordo com informações do jornal O Globo:

Na quinta-feira, as autoridades equatorianas receberam do canal colombiano RCN fotos do que seriam os corpos dos reféns, mas as imagens “não eram conclusivas”, segundo o governo. O grupo do jornal “El Comércio”, integrado por dois jornalistas e um motorista, foi sequestrado no dia 26 de março passado, quando realizava uma reportagem na fronteira entre Equador e Colômbia.

Os três foram sequestrados quando realizavam reportagens no povoado de Mataje, onde as autoridades dos dois países perseguem guerrilheiros que se afastaram do processo de paz com as já dissolvidas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O caso dos jornalistas elevou a tensão na Cúpula das Américas, que está sendo realizada a partir desta sexta-feira em Lima, no Peru, e levou os governos do Equador e da Colômbia a intensificarem a cooperação bilateral.

A guerrilha marxista das FARC culpa os governos da Colômbia e do Equador pela morte dos jornalistas.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...