Erdogan estimula criança da Turquia a morrer como “mártir” islâmico

O líder do regime islâmico da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, está sendo duramente criticado por ter usado uma criança para defender o massacre contra Curdos na Síria.

Em discurso aos correligionários do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), o mandatário ressaltou que uma menina de apenas seis anos de idade seria honrada se fosse “martirizada” lutando pelo seu país. Amine Tiras, que estava chorando perto do palco durante um congresso político na cidade de Kahramanmaras, foi chamada ao palco por Erdogan.

Após tentar mostrar afeição, beijando-a nas duas bochechas, o presidente disse aos presentes:  “Nós temos nossos boinas marrons aqui, mas boinas marrons nunca choram”, numa alusão ao corpo de elite de alta qualificação do exército de seu país.

Em seguida asseverou: “Ela tem a bandeira turca em seu bolso. Se ela for martirizada, se Allah assim quiser, a bandeira será colocada sobre ela. Ela está pronta para tudo, não é?”. Em prantos, a menina apenas respondeu: “Sim”.

A fala, que coloca uma criança como “mártir” ressaltou o aspecto religioso da operação Ramo de Oliveira. Desde 20 de janeiro o  exército da Turquia está em confronto direto com os curdos na região de Afrin, norte da Síria.

 

Com informações de: [GospelPrime]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia