Escolas da Alemanha estão fora de controle

Presidente da Associação de Professores da Alemanha alerta que os vídeos de decapitação feitos pelo Estado Islâmico se “espalham como um incêndio” entre imigrantes muçulmanos em escolas do país.

Em um artigo intitulado “Nossas escolas estão fora de controle“, Heinz-Peter Meldinger disse ao jornal alemão Bild que a situação em algumas escolas estava ficando crônica, devido ao aumento do número de ataques violentos contra professores, criando a necessidade de colocar seguranças em escolas com 70% ou mais de imigrantes.

Meldinger disse que os ataques contra professores eram, no começo, frutos de certas atitudes culturais e religiosas mantidas pelos adolescentes árabes e do norte da África que não respeitam mulheres.

Os ataques antissemitas contra crianças também estão crescendo, junto com o número de crianças imigrantes que carregam facas e spray de pimenta.

“Uma garota judia foi ameaçada de morte pelos seus colegas de classe e de vez em quando aparece algum ataque antissemita em Berlim,” disse Meldinger.

Quando questionado se a circulação de um vídeo de decapitação produzido pelo Estado Islâmico em uma escola em Berlim teria sido um caso isolado, Meldinger respondeu que incidentes assim agora são comuns:

Infelizmente, esses não são mais casos individuais, nem mesmo entre os estudantes mais novos. Esses incidentes agora existem em muitas escolas da Alemanha. Uma coisa é certa: vídeos violentos em redes sociais já chegaram às vidas dos estudantes há muito tempo. Em aplicativos de mensagens como o WhatsApp, vídeos como o da decapitação estão se espalhando como um incêndio.

Ele também lembra que a presença de seguranças nas escolas agora é necessária, e reforça a necessidade de esforços para integrar os imigrantes e impedir que a situação piore. Ele concluiu falando que o alto fluxo de imigrantes muçulmanos desde 2015 “agravou o problema”.

 

Traduzido e adaptado de: [Infowars]

Esta matéria foi escrita pelo colaborador João Guilherme
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia