Esfaqueador de Bolsonaro não comprova tratamento psiquiátrico

Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

A Justiça Federal negou o pedido de avaliação de insanidade mental de Adélio Bispo de Oliveira, autor do atentado contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL).

O juiz Bruno Souza Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, destacou que não existem “elementos que sustentem a existência de dúvida relevante e plausível sobre a higidez mental do investigado”.

O juiz seguiu o entendimento do procurador Marcelo Medina, conforme reportado pela Renova.

Ao negar o pedido de avaliação de insanidade mental de Adélio Bispo de Oliveira, o magistrado chamou a atenção para o fato de a defesa não ter juntado aos autos do processo nenhuma confirmação de que o autor do atentado contra Jair Bolsonaro faça uso permanente de medicamentos controlados.

Também não foi apresentado um histórico de consultas a médicos psiquiatras e neurologistas.

“Não há laudos, declarações, recibos de honorários ou qualquer outro documento idôneo. (…) Sequer há menção a nomes de profissionais envolvidos ou locais do alegado tratamento”, declarou o juiz.

 

Adaptado da fonte O Antagonista
Twitter
Facebook
Google+
LinkedIn
Pinterest

Isso também pode te interessar

Deixe seu comentário

Anunciante
e-consulters
Parceiro

Assine nossa Newsletter!

Preencha o formulário para assinar.

Nome Email
newsletter

Últimas publicações