Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Espanha e Argentina não reconhecerão eleições na Venezuela

Tarciso Morais

Tarciso Morais

COMPARTILHE

Rajoy e Macri afirmam que pleito presidencial marcado para maio pela ditadura de Maduro “não tem valor algum”. “Neste momento, não há democracia na Venezuela”, diz presidente argentino.

O presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, e o presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciaram nesta terça-feira (10) que não vão reconhecer os resultados das próximas eleições na Venezuela, marcadas para maio.

Em entrevista coletiva ao lado de Rajoy após uma reunião na Casa Rosada, Macri declarou:

Não vamos validar o resultado eleitoral de maio, ele não tem valor algum. Por mais que o senhor [Nicolás] Maduro me insulte, não vamos reconhecê-lo como um presidente democrático porque neste momento, não há democracia na Venezuela.

O presidente da Espanha completou:

Estou de acordo com essas palavras. Devemos devolver a palavra aos venezuelanos, sem dificuldades, sem ameaças e sem nos aproveitarmos da fome e da miséria provocada pela incompetência. Ou pior… para estabelecer regimes clientelistas.

O presidente argentino também concordou com Rajoy quanto à dimensão das dificuldades enfrentadas na Venezuela, que transbordam para toda a região.

“Claramente os direitos humanos deixaram de ser respeitados há tempos na Venezuela. O nível de abuso do governo de Maduro contra os cidadãos é tremendo”, avaliou Macri.

As eleições presidenciais da Venezuela, marcadas ppara o dia 20 de maio, ocorrerão sem a participação de grande parte da oposição, que afirma que o pleito será fraudulento.

“Não é uma escolha democrática. Seguiremos reivindicando uma saída democrática para o povo venezuelano”, indicou Macri.

 

 

Com informações de: [DW]
- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM