Espanha diz que Maduro quer se perpetuar no poder

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Apesar das críticas, o premiê da Espanha se mostrou contrário a uma possível intervenção militar na Venezuela.

O premiê socialista da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou nesta quarta-feira (27) que o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, não tem a intenção de dialogar ou ter “uma negociação sincera” com as outras nações.

Sánchez indicou que Maduro usou os mecanismos de diálogo apenas como “um instrumento para ganhar tempo e se perpetuar no poder”.

O premiê da Espanha julgou que as eleições realizadas em maio de 2018, nas quais o chavista foi reeleito, “não foram livres, justas ou críveis e, portanto, carecem de legitimidade democrática.”

De acordo com a revista VEJA, Sánchez disse que a convocação de “eleições livres, democráticas, transparentes e com todas as garantias é a única solução possível para a profunda crise que vive o país” latino-americano.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.