Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Espanha rejeita suspender venda de armas para Arábia Saudita

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Espanha rejeita suspender venda de armas para Arábia Saudita
COMPARTILHE

O Congresso da Espanha rejeitou nesta terça-feira (23) suspender a venda de armas para o governo da Arábia Saudita após assassinato do jornalista opositor Jamal Khashoggi.

A ideia de interromper os contratos era uma proposta da formação de esquerda Unidos Podemos e dos partidos independentistas catalães, que consideram que é preciso colocar os direitos humanos na frente dos negócios.

No entanto, a proposta foi rejeitada na Comissão de Defesa do Congresso com os votos do Partido Socialista Operário Espanhol (Psoe), no governo, e do Partido Popular (PP – centro-direita), o principal na oposição, além das abstenção de Ciudadanos (liberais) e dos nacionalistas bascos do PNV.

“A Espanha é um país que cumpre com os seus contratos e a decisão de suspender a venda de armas à Arábia Saudita deve ser coletiva de toda a União Europeia” (UE), argumentou o Psoe sobre o acordo feito, há alguns meses, entre Espanha e Arábia Saudita para a construção de cinco navios militares nos estaleiros espanhóis.

Tal acordo, estimado e 1,80 bilhão de euros, significaria a criação de 6 mil empregos diretos e indiretos, através do estaleiro Navantia, de propriedade pública e localizado na província de Cádiz (sul), uma das regiões da Espanha com a maior taxa de desemprego.

 

Adaptado da fonte EFE
- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram