Estado Islâmico por trás do assassinato de turistas escandinavas

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A polícia do Marrocos caça os quatro jihadistas do Estado Islâmico que mataram as duas turistas escandinavas no maciço do monte Atlas, na semana passada.

A dinamarquesa Louisa Vesterager Jespersen e a norueguesa Maren Ueland foram surpreendidas enquanto dormiam na barraca que armaram na montanha.

Os quatro assassinos, descobriu-se, prestaram juramento de fidelidade ao Estado Islâmico, registra “O Antagonista“.

Um marroquino organizou uma petição no site “Change.org“, conclamando o Ministério da Justiça a condenar à morte os assassinos das turistas.

“A pena de morte é, sem dúvida, a solução correta para este crime horrível. Por isso solicito a aplicação dos artigos 393, 399 do Código Penal marroquino”, afirma a petição.

Uma das vítimas foi decapitada, enquanto a outra sofreu ferimentos graves no pescoço. O caso está sendo investigado pela polícia do Marrocos como um ato terrorista.

Um vídeo da decapitação de uma das garotas foi publicado on-line, com um autor do crime bradando uma faca e gritando “É a vontade de Alá” e “Isso é vingança para nossos irmãos em Hajin, na Síria. Estas são as vossas cabeças, inimigas de Deus”, informa o “Sputnik“.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.