EUA criticam investigação sobre supostos crimes de guerra na Palestina

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Israel continua sendo alvo de investigações do TPI por ações na Palestina.

O chanceler Antony Blinken, dos Estados Unidos, criticou a decisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) de abrir uma investigação formal sobre possíveis crimes de guerra cometidos na Palestina desde junho de 2014.

Em mensagem publicada no Twitter, nesta quarta-feira (3), após decisão do TPI, Blinken declarou:

“Os Estados Unidos se opõem firmemente à investigação do TPI sobre a situação palestina. Continuaremos a defender nosso forte compromisso com Israel e sua segurança, inclusive opondo-nos a ações que miram Israel de maneira injusta.”

Através de uma nota oficial, Blinken reforçou a posição dizendo que o país está “desapontado” com a medida e que o tribunal “não tem jurisdição sobre essa matéria” porque Israel “não faz parte do TPI e não deu seu consentimento para a jurisdição da Corte”.

O chanceler dos EUA ainda ressaltou que os palestinos “não se qualificam como um estado soberano”, mas que o governo norte-americano “permanece profundamente comprometidos para garantir a justiça e a responsabilização por crimes internacionais atrozes”.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.