EUA exigem que Nicarágua liberte estudantes detidos “arbitrariamente”

Idiomas:

Português   English   Español
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O Departamento de Estado norte-americano exigiu que a ditadura da Nicarágua, liderada pelo esquerdista Daniel Ortega, liberte “todas as pessoas detidas arbitrariamente” durante manifestações.


O governo Donald Trump avisou que fará com que o Executivo responda por sua “repressão e violência”.

A diplomacia dos Estados Unidos formulou esse pedido em comunicado, destinado a condenar a detenção “arbitrária” de seis estudantes, dos quais cinco já foram postos em liberdade.

A porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, declarou:

Pedimos a libertação de todas as pessoas detidas arbitrariamente. Também fazemos uma chamada ao governo de Ortega para que garanta a segurança de todos os que escolhem exercer seus direitos universais à liberdade de expressão e à liberdade de reunião.

E acrescentou:

Todos os governos deveriam promover a democracia, a boa governança e os direitos humanos para um maior bem-estar de seus cidadãos. Continuaremos respaldando o povo da Nicarágua e faremos com que o Executivo de Ortega responda por sua repressão e violência.

Os seis estudantes aos quais o Departamento de Estado se referiu em seu comunicado são Ariana Moraga, Iskra Malespín, Judith Mairena, Gracia Rivera, Alejandro Centeno e Edwin Carcache, este último membro da opositora Aliança Cívica e o único que permanece sob custódia das autoridades.

Para o governo norte-americano, estes estudantes são o “último exemplo” das milhares de pessoas que protestaram contra Daniel Ortega, apenas para serem “fustigadas, detidas, desaparecidas ou inclusive assassinadas”.

Adaptado da fonte Pleno.News

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...