Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

EUA querem impor sanções à Venezuela antes das “eleições”

COMPARTILHE

Departamento de Estado norte-americano ainda avalia o impacto da nova punição na população venezuelana, que sofre com uma crise severa de escassez, antes de tomar uma decisão.

O governo dos Estados Unidos estuda impôr sanções ao setor de petróleo da Venezuela antes das eleições antecipadas pelo ditador Maduro para o dia 22 de abril, informou a agência Bloomberg nessa terça-feira (27).

Segundo uma fonte do Departamento de Estado, o governo americano ainda avalia o impacto da punição na população venezuelana, que sofre com uma crise severa de escassez, antes de tomar uma decisão. A Casa Branca quer que a decisão seja rápida em virtude da proximidade da votação.

Uma punição direta ao petróleo venezuelano afetaria duramente as finanças chavistas, que tem nos Estados Unidos o único cliente que paga à vista pela commoditty – 29% da produção diária venezuelana é comprada pelos americanos, o equivalente a 475 mil barris.

O secretário de Estado Rex Tillerson avalia qual forma de sanção é a mais adequada. Entre as opções estão restrições diretas à venda do petróleo ou restrições ao financiamento de operações do setor. As punições foram debatidas na visita recente de Tillerson à América Latina.

No ano passado, o governo Trump impôs sanções a autoridades chavistas, entre elas o próprio Maduro, e dificultou os meios de financiamento do governo venezuelano, que, segundo analistas, influenciou no calote de parte da dívida do país no fim do ano.

 

Com informações do: [Estadão]

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Assinar
Notificar quando
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE