Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

EUA vão apoiar Angola na luta contra a corrupção

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
EUA querem apoiar Angola na luta contra a corrupcao
Imagem: Reprodução/Tvi24

Chanceler dos EUA prontificou-se a apoiar a promoção de transações “limpas e transparentes” em Angola.

Mike Pompeo, chanceler dos Estados Unidos, encontrou-se com seu homólogo angolano, Manuel Gasto, em Luanda, nesta segunda-feira (17).

Em conferência de imprensa, Pompeo foi questionado sobre os pedidos de colaboração que Angola tem endereçado a vários países para conseguir repatriar capitais e responsabilizar os envolvidos em escândalos de corrupção.

Segundo a emissora DW, o chanceler norte-americano respondeu que os EUA apoiam estes esforços em todo o mundo e querem que as transações financeiras “sejam limpas e transparentes”:

“Quando descobrimos que este não é o caso, os EUA irão usar todos os seus recursos para corrigir o que está errado. Iremos certamente fazer o mesmo para ajudar Angola.”

Dias atrás, a RENOVA noticiou que a Polícia Federal (PF) do Brasil está investiga a ligação entre a Companhia de Petróleo de Angola, a Petrobras e o pagamento de propina ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Durante os dois mandatos presidenciais de Lula da Silva, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável) fez empréstimos ao país africano, e construtoras brasileiras como a Odebrecht, fecharam contratos bilionários no país africano.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias