EUA prende venezuelanos acusados de corrupção na petroleira estatal

Os Estados Unidos prenderam venezuelanos envolvidos com a lavagem de US$ 1,2 bilhão em fundos desviados da estatal petrolífera da Venezuela (PDVSA), afirmaram autoridades americanas nesta quinta-feira (26).

“Os supostos conspiradores incluem ex-funcionários da PDVSA, operadores financeiros e membros da elite venezuelana”, diz o indiciamento federal no segundo distrito da Flórida.

A conspiração entre os suspeitos começou em dezembro de 2014 com um esquema de troca de moedas projetado para desviar cerca de US$ 600 milhões da PDVSA, através de suborno e fraude.

Eles maximizaram os lucros tirando proveito do acesso às taxas favoráveis ​​do sistema de câmbio do governo venezuelano, convertendo bolívares em dólares.

Os venezuelanos acusados são:

  • Francisco Convit | acionista da empresa de energia Derwick Associates.
  • Carmelo Urdaneta | ex-consultor jurídico do ministério de Petróleo e Mineração.
  • Abraham Ortega | ex-funcionário da PDVSA.
  • José Vicente Amparan | empresário e “profissional lavador de dinheiro” com ligações com a Espanha e Malta.

Em 2017, o PIB da Venezuela caiu 14% segundo o Fundo Monetário Internacional. Caracas também enfrenta problemas de hiperinflação e falta de cédulas de moeda.

Adaptado da fonte Sputnik Brasil
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia