Português   English   Español

Novas evidências indicam que agentes do FBI evitaram que Hillary fosse incriminada no caso dos emails

fbi-reopens-investigation-crooked-hillary-private-illegal-email-server-933x445

Uma série de novas revelações sobre o FBI oferece mais evidências de que agentes partidários abusaram de suas posições para proteger Hillary Clinton durante a “investigação dos emails” na época da campanha presidencial de 2016.

O público agora sabe que o agente do FBI, Peter Strzok, foi removido da investigação Trump-Rússia depois que o Departamento de Justiça revelou mensagens de texto condenadoras entre ele e uma advogada do FBI, Lisa Page.

As mensagens mostram Strzok e Page elogiando Hillary Clinton, discutindo se poderiam usar suas posições para proteger o país de Donald Trump – a quem eles descreveram como uma “ameaça” – e falando sobre uma misteriosa “apólice de seguro” no caso de Trump derrotar Clinton.

Peter Strzok é relatado como o agente que oficialmente assinou o inicio da investigação Trump-Rússia que agora afeta a administração do Presidente.

Além disso, durante a investigação sobre os emails de Hillary, Strzok entrevistou duas assistentes do alto escalão da campanha democrata: Chery Mills e Huma Abedin – nenhuma das duas foi penalizada por mentir durante as entrevistas.

O ex-diretor do FBI, James Comey, escreveu uma carta isentando Clinton meses antes da investigação terminar. No texto, ele descreveu a ação de Hillary como uma “negligência grosseira” – um termo que pode implicar repercussões legais, mas que depois foi alterado – não se sabe por quem – para “extremamente descuidada”.

Em outras palavras: um agente do FBI, Peter Strzok, que estava trabalhando abertamente para que Hillary Clinton vencesse Donald Trump, é o coração por trás da investigação sobre a suposta influência da Rússia e, também, teve envolvimento direto na declaração de inocência de Hillary durante as investigações sobre os emails.

O cerco está se fechando para o “deep state”. Políticos republicanos e advogados de Trump já pedem a nomeação de procurador especial para investigar essa situação desconcertante.

Não é coincidência que a grande mídia praticamente enterrou as notícias sobre a investigação russa e agora não param de gritar sobre supostas acusações de assédio sexual contra Trump. A velha cortina de fumaça…

 

Com informações de: (1)

Deixe seu comentário

Veja também...