Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
- PUBLICIDADE -

Evidências em Pompeia sugerem que romanos reciclavam lixo

REDAÇÃO RENOVA Mídia

REDAÇÃO RENOVA Mídia

Evidencias em Pompeia sugerem que romanos reciclavam lixo
Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons
COMPARTILHE

“Descobrimos que parte da cidade foi construída com lixo”, diz arqueóloga sobre Pompéia. 

Uma equipe de arqueólogos da Universidade Tulane, nos Estados Unidos, sugere que a reciclagem pode ter sido uma das técnicas dominadas pelo Império Romano.

Os pesquisadores analisaram pilhas de destroços e lixo acumuladas ao lado de muros da antiga cidade de Pompéia

Inicialmente, acredita-se que elas teriam sido geradas durante um terremoto que atingiu a cidade em 62 d.C, alguns anos antes da catastrófica erupção do vulcão Vesúvio

Ao que tudo indica, no entanto, as pilhas eram propositalmente empilhadas em pontos estratégicos da cidade, onde o lixo era vendido e reutilizado em novas construções.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, a arqueóloga Allison Emmerson, líder do estudo, declarou:

“Descobrimos que parte da cidade foi construída com lixo. As pilhas [de lixo] do lado de fora dos muros não eram de materiais para serem jogados fora. Elas estavam ao lado das paredes sendo coletadas e classificadas para serem revendidas para dentro dos muros [da cidade].”

Para analisar a movimentação de lixo por Pompéia, os arqueólogos analisaram amostras de solos.

Eles perceberam que alguns eram mais arenosos, enquanto outros tinham materiais mais orgânicos, dependendo de onde o lixo havia se acumulado.

Entre os materiais mais utilizados estavam pedaços de ladrilhos e ânforas quebradas, que eram “escondidas” com pedaços de argamassa e gesso. O material foi utilizado como base de diversas construções da época, destaca a revista Galileu.

- PUBLICIDADE -
TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
VEJA TAMBÉM