Evo Morales fala sobre relações com Brasil caso Bolsonaro vire presidente

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O líder da Bolívia qualificou a prisão do ex-presidente Lula como política e comentou as relações bilaterais com o Brasil, inclusive a possível eleição de Jair Bolsonaro.

Durante visita à Rússia, Evo Morales concedeu entrevista exclusiva à Sputnik Mundo, onde falou sobre supostos “golpes políticos” na América Latina:

Esses golpes não são golpes militares. Agora são golpes judiciais ou golpes do Congresso.

Ele também aproveitou para manifestar seu apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja prisão, de acordo com seu ponto de vista, foi política.

Morales  acrescentou que nenhum presidente de “direita” foi deposto nas últimas décadas, ao contrário do que aconteceu com presidentes de esquerda, citando o caso de Dilma Rousseff como exemplo.

Ao comentar as eleições presidenciais no Brasil, o membro do Foro de São Paulo afirmou que a Bolívia  respeitará o resultado do pleito eleitoral no país, independente de quem vença: direita ou esquerda.

No entanto, o líder boliviano afirmou que, no caso da hipotética vitória de Jair Bolsonaro, as relações com o país devem mudar.

Não haverá uma química, como com Lula, para pensar sobre os mais necessitados. Onde a direita ou o neoliberalismo retornam, a pobreza e a injustiça crescem.

E concluiu:

[Bolívia] seguirá o resultado das eleições, seja para a esquerda ou para direita, de modo a respeitar [o resultado] e para poder trabalhar junto.

 

Com informações de Sputnik Brasil

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.