Ex-ministro da Saúde denunciado pelo MPF por improbidade administrativa

Idiomas:

Português   English   Español
Ex-ministro da Saúde denunciado pelo MPF por improbidade administrativa
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Além de Ricardo Barros, servidores e ex-funcionários do Ministério da Saúde e de uma empresa devem ressarcir erário por ilegalidade na compra de remédios.


O Ministério Público Federal no DF (MPF-DF) ingressou com uma ação civil pública de improbidade administrativa contra o ex-ministro da Saúde, Ricardo Barros, e a empresa Global Gestão em Saúde.

Entre as razões da denúncia, além de, pelo menos, 14 pacientes mortos, estão o favorecimento de empresas; inobservância de leis administrativa, de licitações e sanitária; prejuízo ao patrimônio público; descumprimento de centenas de decisões judiciais, informa o “Metrópoles“.

Segundo o MPF-DF, os acusados cometeram improbidade na condução de processos de aquisição dos medicamentos para tratamento de doenças raras Aldurazyme, Fabrazyme, Myozyme, Elaprase e Soliris.

As empresas favorecidas, além da Global, foram a Tuttopharma LLC e a Oncolabor Medical Representações Ltda, que não tinham histórico de fornecimento de medicamentos à Administração Pública.

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

Veja também...