Ex-premiê da Malásia justifica fortuna como presentes para família

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O ex-premiê da Malásia, investigado por corrupção, Najib Razak, justificou uma fortuna em artigos de luxo e dinheiro em mais de US$ 220 milhões como presentes particulares para sua mulher e filha.

Em entrevista ao jornal local “Malaysiakini”, publicada nesta quinta-feira (28), o ex-mandatário assegurou que a avaliação realizada pela polícia sobre os bens apreendidos em seus imóveis está inflada a respeito do valor real das pertences.

Cerca de 12 mil peças de joalheria, mais de 500 bolsas de luxo, centenas de relógios caros e óculos de sol, junto com dinheiro de 26 países, formam a fortuna apreendida no mês passado pelas autoridades em propriedades vinculadas a Najib.

A polícia estima entre 900 milhões e 1.1 bilhão de ringgits (cerca de US$ 220 e 273 milhões) o valor total da apreensão.

Najib disse ao jornal malaio que tanto ele como sua esposa, Rosmah Mansor, “foram presenteados com vários objetos por parte de líderes estrangeiros e amigos pessoais” durante seus dez anos no poder e outras cargos no governo.

O ex-primeiro-ministro também descreveu como “subjetiva e absurda” a avaliação das autoridades sobre as joias, que segundo os agentes, chegam a 440 milhões de ringgits (cerca de US$ 109 milhões), embora seu preço no mercado poderia até dobrar.

A polícia afirmou ontem que Najib e Rosmah serão chamados “em breve” para prestar depoimento e justificar suas posses.

 

Com informações de BOL

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.