Exército britânico investigando atentado contra ex-espião da Rússia

O exército do Reino Unido se uniu nesta sexta-feira (09) à investigação do atentado contra o ex-espião da Rússia, Serguei Skripal, e sua filha Yulia, cujo foco parece estar voltado para a casa da vítima.

A unidade contraterrorista da polícia “solicitou a assistência dos militares para retirar uma série de veículos” do centro da cidade de Salisbury, sudoeste da Inglaterra, onde as vítimas foram encontradas inconscientes.

O motivo é que os militares têm capacidade e experiência para responder a uma situação semelhante“, explica um comunicado.

A polícia britânica examinava a residência do ex-coronel russo e também isolou os túmulos de sua mulher e filho.

O ataque também atingiu um policial britânico e 21 pessoas receberam atendimento, o que intensificou os pedidos para que Londres responda a Rússia, caso a responsabilidade do país seja confirmada, à altura.

A operação na casa de Salisbury sugere a possibilidade de que Skripal, 66 anos, e sua filha Yulia, 33, receberam no imóvel a dose de gás nervoso que os deixou gravemente feridos, e não no restaurante ou pub que visitaram antes de serem encontrados inconscientes.

O jornal The Times afirmou que o gás nervoso pode ter alcançado o ex-coronel do GRU – o serviço de inteligência militar russo – por meio de um pacote entregue a sua filha na Rússia por “amigos”.

Yulia ainda mora na Rússia e é a única parente próxima de Skripal, porque sua mulher e seu filho faleceram prematuramente, aos 59 e 44 anos, respectivamente, em 2012 e 2017.

 

Leia o restante da matéria no site do Estado de Minas
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *