Português   English   Español
Português   English   Español

Extremismo islâmico segue sendo a maior ameaça à paz mundial

Extremismo islâmico segue sendo a maior ameaça à paz mundial
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Nenhum grupo ameaça a paz global da mesma forma que o islamismo político.

Após o terrível assassinato em massa de 50 muçulmanos em Christchurch, na Nova Zelândia, houve ampla cobertura da imprensa e uma enxurrada de emissoras da grande mídia alertando para a ameaça da supremacia branca.

Essas informações, completamente razoáveis e necessárias em face dos ataques violentos de um terrorista racista, logo começaram a se transformar em alegações politicamente motivadas.

Muitos jornais tiveram a audácia de afirmar que a “supremacia branca” havia se tornado a ameaça terrorista predominante no mundo.

Bem, algumas semanas depois, no Sri Lanka, explosões coordenadas dirigidas contra fiéis cristãos no domingo de Páscoa mataram pelo menos 290 pessoas e feriram outras centenas, demonstrando o tipo de planejamento meticuloso, financiamento, recursos e apoio que ainda é exclusivamente domínio do terrorismo islâmico radical.

Não é apenas que o ato foi planejado para maximizar o número de mortos, mas que é uma continuação de esforços de longa data por parte dos islamistas para destruir as comunidades cristãs na Ásia.

Aqueles que matam em nome do Islã fazem parte de um movimento mundial, histórico, ideológico e político que inclui, em vários graus, homens e mulheres radicalizados das duas maiores facções da fé: xiitas e sunitas.

Então, novamente, grupos terroristas – assim como suas equipes de recrutamento e propaganda – estão freqüentemente funcionando em regimes islâmicos, que ativamente sustentam o terrorismo, toleram esses grupos ou os pagam para eles se envolverem em terrorismo em outros lugares.

Os cristãos que permanecem no mundo islâmico são freqüentemente oprimidos de inúmeras maneiras. Em várias dessas nações, orar publicamente em qualquer religião, exceto o Islã, é proibido e, em muitos casos, a conversão ao cristianismo ainda é punível com a morte.

“O extremismo islâmico continua sendo o condutor global e dominante da perseguição, responsável por iniciar a opressão e o conflito em 35 dos 50 países da lista”, segundo a Open Doors, um grupo cristão mundial.

A ideia de que uma ameaça similar existe no Ocidente é risível. Não há um único país ocidental que não ofereça aos cidadãos muçulmanos os mesmos direitos que ele faz com todos os outros cidadãos.

Nenhum governo na Terra, no entanto, declara apoio à supremacia branca. Não há infraestrutura de financiamento para aqueles que apoiam o poder branco. Não há nenhuma organização cristã ou judaica, ou quaisquer facções políticas notáveis, que impregnam a supremacia branca com qualquer legitimidade teológica ou ideológica.

No entanto, a esquerda internacional continua minimizando o perigo de extremistas muçulmanos, primeiro argumentando que o Islã não tem nada a ver com o terrorismo islâmico, e depois agrupando todas as pessoas de pele branca que cometem um ato terrorista em um movimento político coerente imaginário para contrastar com ele.

Existem bolsões de racistas no mundo e indivíduos que se envolvem em terríveis atos de violência contra pessoas inocentes. Estes são homens perigosos, capazes de causar danos tremendos. Mas nenhum grupo ameaça a paz global da mesma forma que o islamismo político. Nenhum tem seu alcance ou suporte material e teológico. Nenhum criou mais desordem e morte no mundo desde o final da Guerra Fria. O massacre no Sri Lanka é apenas mais um lembrete angustiante.

Adaptado do texto de David Harsanyi no The Daily Signal

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
Share on reddit
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...

Curta a RENOVA!