Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Facebook mira ‘discurso de ódio’ após boicote de gigantes nos EUA

CPMI das Fake News pede ao Facebook relatório de investigações
COMPARTILHE

Rede social vai aumentar o escrutínio em conteúdo pago e fornecer uma maior proteção para imigrantes.

Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, anunciou, nesta sexta-feira (26), mudanças na rede social para combater o “discurso de ódio”. 

A decisão vem depois que grandes empresas dos Estados Unidos, como Unilever e Coca-Cola, aderiram a um movimento de boicote, deixando de pagar por anúncios na plataforma. 

Zuckerberg disse que vai aumentar a análise do conteúdo pago e fornecer maior proteção para imigrantes, refugiados e solicitantes de asilo: 

A partir de agora, o Facebook vai eliminar conteúdos que tenham:

“Alegações de que pessoas de uma determinada raça, etnia, origem nacional, afiliação religiosa, casta, orientação sexual, identidade de gênero ou status de imigração são uma ameaça à segurança física, à saúde ou à sobrevivência de outras pessoas.”

A Unilever informou na que vai suspender até o fim do ano os anúncios publicitários feitos no Facebook, Instagram e Twitter por causa da quantidade de discurso de ódio que é permitida nas redes sociais. 

Já a Coca-Cola anunciou que, a partir de 1º de julho, vai deixar de ter anúncios nas redes sociais por 1 mês. A decisão é válida para a publicidade veiculada em todo o mundo. 

Referências: [1]

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE