Febre do Skate no Brasil: escolas têm filas de espera

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Crescimento do skate tem escolas com filas de espera e fábricas em alto ritmo.

As medalhas brasileiras dos skatistas Rayssa Leal, Kelvin Hoefler e Pedro Barros nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 já impulsionam a modalidade no Brasil.

Estamos vivendo uma nova febre nacional!

Segundo a revista IstoÉ, algumas fábricas de São Paulo dobraram as vendas, enquanto várias escolinhas do Sul do Brasil têm filas de espera e as pistas se multiplicam.

Roberto Maçaneiro, presidente da Federação Paulista de Skate, comentou:

“A gente sente uma procura maior em diversos aspectos, desde procura por cursos de capacitação, atletas se federando, prefeituras pedindo projetos, novas competições. Temos uma demanda bem maior depois da Olimpíada.”

A Olimpíada no Japão deu um novo impulso para um setor que já vinha bem, mesmo com a pandemia do novo coronavírus

Eduardo Dias, empresário e vice-presidente da Confederação Brasileira de Skate, comentou:

“Com a proibição da prática de esportes coletivos para evitar aglomerações na pandemia, os esportes individuais ganharam espaço, principalmente o skate.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.