Português   English   Español

Fernando Haddad aponta o dedo para Geraldo Azevedo

Fernando Haddad aponta o dedo para Geraldo Azevedo

O cantor Geraldo Azevedo disse em show no sábado (20) que foi torturado pelo general Mourão durante o regime militar.

O presidenciável Fernando Haddad (PT) negou ter propagado fake news quando declarou na manhã desta terça-feira (23) que o general Hamilton Mourão, vice de Jair Bolsonaro (PSL), foi um torturador.

Após reunião com o arcebispo do Rio de Janeiro, o petista declarou:

Quem deu informação equivocada não fui eu, foi o compositor que foi torturado, você deveria respeitá-lo.

O candidato do PT havia declarado que o general foi um torturador na época da ditadura militar brasileira, que vigorou de 1964 a 1985, em sabatina dos jornais O Globo e Valor Econômico e da revista Época, conforme noticiou a Renova Mídia.

Posteriormente, o artista emitiu nota reconhecendo que pode ter se confundido e pedindo desculpas pelo transtorno. Segundo a assessoria do petista, o compositor também ligou para se desculpar.

Mourão prometeu processar tanto o petista quanto o cantor. O general declarou:

Vou tomar medida sim, vou enfiar processo nesses caras todos. Eu tenho filho e tenho neto. Os caras têm que pensar duas vezes antes de falarem bobagem.

 

Adaptado da fone Folha

Deixe seu comentário

Veja também...