Português   English   Español

Fernando Haddad desesperado em busca de aliados

Fernando Haddad desesperado em busca de aliados

Faltando duas semanas para o segundo turno da eleição, o PT admite flexibilizar programa de governo  e rever taxação de fortunas com objetivo de atrair aliados para a tal “frente democrática” contra Jair Bolsonaro.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, admitiu nesta segunda-feira (15) que a campanha de Fernando Haddad, candidato à Presidência, deve fazer flexibilizações no programa de governo com o objetivo de atrair partidos para o que estão chamando de Frente Ampla Pela Democracia, grupo composto por partidos como o PT, PSB, PCdoB, PSOL, PCB e PROS.

Gleisi afirmou que é natural que haja “falhas” no PT, mas que seu partido não pode “pedir desculpas” por ter chegado ao segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL).

A presidente do PT declarou:

Quando a gente faz uma aliança, a gente já abre para fazer discussões programáticas. Se você não tiver nenhuma intenção de fazer flexibilização, você não faz aliança, você disputa a eleição sozinho.

Um integrante do comando da campanha recomenda a definição de dez pontos de convergência para elaboração de um programa comum, excluindo propostas polêmicas com difícil aprovação no Congresso – como exemplo, a retirada da taxação de grandes fortunas.

Um dos autores do plano de governo, o próprio Haddad afirmou, nesta segunda, que pretende “alargar o quanto puder” a frente de apoio a sua candidatura.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Deixe seu comentário

Veja também...

Newsletter Renova!

Preencha o formulário para assinar nossa newsletter.

Nome Email
newsletter