Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

FGV tenta se explicar após críticas de Decotelli

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
FGV tenta se explicar após críticas de Decotelli

“FGV vem esclarecer, uma vez mais, que o professor Decotelli ministrava aulas em seus cursos de educação continuada”, diz instituição.

O professor Carlos Alberto Decotelli, responsabilizou, na última quarta-feira (1º), a Fundação Getulio Vargas (FGV) por ter pedido demissão do cargo de ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro.

Decotelli disse que a instituição de ensino “fez uma covardia impensável de jogar uma notícia na imprensa de que eu nunca havia sido professor da FGV”. 

Nesta quinta-feira (2), em nota enviada ao jornal Folha de S. Paulo, a instituição diz que seguiu o “rigor técnico”:

“[FGV seguiu] o rigor técnico inerente às classificações terminológicas das Portarias da CAPES, uma vez que [Decotelli] não lecionava em turmas de graduação e pós-graduação stricto sensu, o que não reduz, em absoluto, a importância de tais cursos de educação continuada.”

FGV acrescentou:

“A FGV vem esclarecer, uma vez mais, que o professor Decotelli ministrava aulas em seus cursos de educação continuada, coordenados pelo Instituto de Desenvolvimento Educacional (IDE/FGV), que englobavam, além dele, outros quase 950 professores desde o início da pandemia em março do corrente ano, sendo 199 especialistas, 503 mestres e 247 doutores.”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email