Português   English   Español

Flávio Bolsonaro se dispõe a prestar esclarecimentos ao Ministério Público

Flávio Bolsonaro se dispõe a prestar esclarecimentos ao Ministério Público
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

O deputado estadual e senador eleito, Flávio Bolsonaro, pediu ao MPRJ uma cópia integral do inquérito que investiga seu ex-assessor, Fabrício Queiroz.


Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou movimentações financeiras atípicas envolvendo Fabrício Queiroz, que na época era assessor do gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A solicitação foi divulgada nesta quinta-feira (10) pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), informa a agência “EBC“.

Em nota, o órgão diz que Flávio Bolsonaro informará local e data “para prestar os devidos esclarecimentos que porventura forem necessários”.

O parlamentar afirma não ter tido acesso aos autos, e que foi notificado do convite da Promotoria do Rio no dia 7 de janeiro.

Por meio de sua conta pessoal no Facebook, Flávio declarou:

Como não sou investigado, ainda não tive acesso aos autos, já que fui notificado do convite do MPRJ apenas no dia 7 de janeiro, às 12h19. No intuito de melhor ajudar a esclarecer os fatos, pedi agora uma cópia do mesmo para que eu tome ciência de seu inteiro teor.

E, afirmando que vai prestar os esclarecimentos ao Ministério Público, acrescentou:

Comprometo-me a agendar dia e horário para apresentar os esclarecimentos, devidamente fundamentados, ao MPRJ para que não restem dúvidas sobre minha conduta. Reafirmo que não posso ser responsabilizado por atos de terceiros, como parte da grande mídia tenta, a todo custo, induzir a opinião pública.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...