Força-tarefa com 7 mil militares tenta reduzir fila do INSS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A fila de espera no INSS é de 1,3 milhão. Esse é o estoque de requerimentos de benefícios que não foram respondidos dentro do prazo legal.

O governo Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira (14), um conjunto de medidas para reduzir o atraso na análise de pedidos de aposentadorias e benefícios.

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou que cerca de 7 mil militares da reserva poderão ser contratados temporariamente para atendimento nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Dessa forma, técnicos do próprio instituto poderão ser realocados para a análise dos pedidos na fila, que é, atualmente, de 1,3 milhão de pessoas.

A expectativa do governo é que até setembro ou outubro o INSS tenha capacidade de analisar o fluxo mensal de pedidos de benefícios. 

“O estoque não será zerado. A gente pretende que, no mês de setembro ou outubro, o número de requerimentos seja na mesma quantidade que temos capacidade de analisar”, declarou Marinho, segundo o jornal Folha.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.