Gabriela Hardt bloqueia R$ 20 milhões de alvos da Lava Jato

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A juíza Gabriela Hardt, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, decretou o bloqueio de R$ 20 milhões no âmbito da Operação Quinto Ano — fase 59 da Lava Jato — que investiga propinas milionárias em contratos da Transpetro.

Os R$ 20 milhões bloqueados pela magistrada Gabriela Hardt estavam nas contas do empresário Wilson Quintella, do executivo Antonio Kanji e do advogado Mauro de Morais.

Gabriela também mandou prender os três.

A investigação mira supostos pagamentos de propinas do Grupo Estre a executivos da Transpetro, subsidiária da Petrobrás, em contratos firmados entre 2008 e 2014, que somam R$ 682 milhões.

As propinas chegam a R$ 22 milhões, segundo a Operação Lava Jato.

Na decisão, Gabriela determinou que, para os bloqueios, não importa se os valores estão “misturados” com recursos de procedência lícita.

O montante foi arbitrado pela própria magistrada ao atender o Ministério Público Federal, que pediu o “bloqueio sem limites” das contas dos investigados, registra o Estadão.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.