- PUBLICIDADE -

“Gato de energia” minerou criptomoedas na UFRJ

Foto: Reprodução/Extra
- PUBLICIDADE -

A investida virtual criminosa foi classificada como “crypto-hotwire”.

A energia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi usada ilegalmente para realizar a mineração de criptomoedas, principalmente Bitcoin e Monero.

Entre janeiro e fevereiro de 2018, computadores da UFRJ foram infectados com cryptojackings, isto é, aplicativos nocivos que infectam e controlam o uso de CPU e memória de máquinas.

A informação está presente em estudo divulgado por um grupo de pesquisadores da instituição de ensino na plataforma ArXiv no início deste ano.

Foto: DIVULGAÇÃO / UFRJ

Claudio Miceli, professor de engenharia de sistemas e computação da UFRJ e coautor do estudo, declarou:

“A proposta de estudo veio após descobrirmos anomalias no sistema e um computador minerando criptomoedas dentro de um laboratório. Depois percebemos que isso é muito comum em universidades lá fora, uma vez que elas têm um grande número de máquinas, largura de banda de Internet significativa e energia abundante, e resolvemos estudar para ver o que poderia ser feito.”

No total, de acordo com a pesquisa, ocorreram 144 ataques no período analisado. 

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -