- PUBLICIDADE -

George Soros ainda não aceitou sua expulsão da Hungria

George Soros ainda não aceitou sua expulsão da Hungria
- PUBLICIDADE -

A legislação “Stop Soros” inclui um imposto de 25% sobre organizações não-governamentais (ONGs) que apoiam a imigração ilegal ou a retratam positivamente.

As informações são do jornal France 24.

A fundação dirigida pelo bilionário norte-americano George Soros disse na segunda-feira (24) que entrou com uma ação judicial na Corte Europeia de Direitos Humanos contra a legislação “Stop Soros” da Hungria, adotada em junho passado.

A Open Society Foundations (OSF), sediada em Nova York, disse em um comunicado que havia apresentado uma queixa ao Tribunal, pedindo que a “democracia húngara” seja defendida e exigindo a revogação da lei.

“Há apenas uma coisa que esta legislação vai parar e isso é democracia”, disse o presidente da OSF, Patrick Gaspard.

Em junho, o Parlamento da Hungria adotou uma série de leis apelidadas de “Stop-Soros”, criminalizando ONGs que contribuem com o avanço da imigração ilegal, conforme divulgado pela Renova Mídia.

A legislação é uma iniciativa antiga do primeiro-ministro conservador, Viktor Orban, que foi reeleito de forma confortável para um terceiro mandato consecutivo em abril. A nova lei, que tem como alvo “os organizadores da imigração ilegal”, foi aprovada por 160 votos a favor e 18 contra.

De acordo com Daniela Ikawa, advogada da fundação de George Soros, as medidas violam as convenções da União Europeia sobre liberdade de expressão e expõem “uma ampla gama de atividades legítimas ao risco de processo criminal”.

A fundação transferiu um escritório regional de Budapeste para Berlim no mês passado, citando o que chamou de políticas “repressivas” do governo conservador de Viktor Orban.

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -