Gilmar Mendes restabelece prisão domiciliar para Fabrício Queiroz

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O casal está isolado desde julho em apartamento na Taquara, zona oeste do Rio.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, estabeleceu, nesta sexta-feira (14), que o ex-assessor Fabrício Queiroz e sua mulher, Márcia Aguiar, devem permanecer presos em regime domiciliar.

No despacho, Gilmar diz que os fatos usados para determinar a prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro são de 2018 e 2019:

“Chama a atenção, no entanto, o considerável lapso temporal ocorrido entre os supostos diálogos (concentrados nos anos de 2018 e de 2019) e a decretação da prisão preventiva do paciente em junho de 2020. É assente na jurisprudência que fatos antigos não autorizam a prisão preventiva, sob pena de esvaziamento da presunção de inocência.”

Segundo o site Poder360, o ministro acrescentou:

“Além de recair fundadas dúvidas sobre a contemporaneidade dos fatos invocados para justificar a segregação dos pacientes, a suposta conveniência para fins de instrução criminal e de garantia da ordem pública parecem se referir muito mais a conjecturas, como as de que o paciente teria influência em grupos de milícias e no meio político.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.