Governador do Ceará descarta anistia a militares amotinados

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Um grupo de cinco senadores está no Ceará para tentar resolver o impasse entre Executivo e policiais militares.

Camilo Santana (PT), governador do Ceará, avisou que não concederá nenhum tipo de anistia administrativa para os militares envolvidos em atos de vandalismo e insubordinação.

“Anistia para quem fizer motim na polícia é inegociável”, declarou o governador. 

De acordo com nota oficial do governo, todos os investigados no motim sofrerão punições previstas em lei. 

Os militares que abandonarem o serviço sofrerão as mesmas sanções, segundo alerta da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará.

Flávio Sabino, cabo da Polícia Militar e ex-deputado federal, afirmou que a categoria está mais forte.

“A verdade é que o governador está irredutível e não quer terminar com a tensão no Ceará. Ele não cede e não quer a anistia administrativa, comum em qualquer movimento grevista”, disse Sabino, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.