Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Governo da Alemanha proíbe funcionários de usar WhatsApp

WhatsApp vai deixar de funcionar em alguns smartphones

Existe uma preocupação no governo da Alemanha com um possível mau uso dos dados pelo WhatsApp.

O governo da Alemanha está proibindo funcionários dos ministérios e instituições federais de usar o WhatsApp como aplicativo de troca de mensagens. 

Em uma carta enviada¹ às agências do governo alemão, o comissário de privacidade de dados Ulrich Kelber disse que os órgãos devem respeitar, e não negligenciar, a proteção de dados “mesmo nestes tempos difíceis” de coronavírus.

Autoridades do governo Angela Merkel têm recorrido ao WhatsApp como ferramenta para entrar em contato com cidadãos sobre temas relacionados à pandemia — o que gerou reclamações. 

“Mesmo apenas enviando mensagens, os metadados são entregues ao WhatsApp de toda forma”, disse Kelber².

O comissário acredita ainda que esses metadados foram encaminhadas diretamente ao Facebook, empresa controladora do WhatsApp. 

Kelber enfatizou que endereços locais e IP dos usuários “contribuem, mesmo que apenas como um pequeno pedaço do mosaico, para o aumento do armazenamento de perfis pessoais”.

Em sua defesa, o WhatsApp rebateu Kelber dizendo que o serviço de mensagens não encaminhava dados do usuário para o Facebook utilizar em publicidade online. 

“O WhatsApp não pode ler as mensagens porque elas são criptografadas por padrão”, disse³ o porta-voz da empresa.

Referências: [1][2][3]

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias