Governo diz que PM da Paraíba não tem como reagir a ataques

Idiomas:

Português   English   Español
Foto: WALTER PAPARAZZO
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Uma quadrilha de alta periculosidade foi a responsável pela fuga na penitenciária de segurança máxima Romeu Gonçalves Abrantes, o PB1, em João Pessoa, capital da Paraíba.

A quadrilha foi presa pela Polícia Militar na capital paraibana na tarde desta segunda-feira (10) após invadir e libertar mais de 100 detentos do presídio de segurança máxima em João Pessoa.

Segundo o comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves, os cinco homens e cinco mulheres são da cidade de Campina Grande, no interior do Estado, e com eles foram encontradas armas, munições e drogas.

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), admitiu que a Polícia Militar não tem como reagir a ataques como o que aconteceu no presídio PB1.

Ele disse que as armas que a quadrilha utilizou na ação possuem as mesmas características das que são usadas terroristas e, por isso, as forças de segurança do Estado não possuem liberação.

Coutinho declarou:

É um ataque de uma organização criminosa utilizando recursos de terrorismo, que usam armas proibidas até para a polícia. As polícias não podem ter essas armas, mas aqui no Brasil os criminosos comumente têm acesso. Tem coisas que você consegue evitar e tem coisas que não são possíveis.

 

Adaptado da fonte Estadão

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as últimas notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque