PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Greve afeta abastecimento de remédios em farmácias do Rio, Paraná e Minas

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

A Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias) afirmou nesta quinta-feira (24) que a paralisação de caminhoneiros está afetando o abastecimento de medicamentos no País.

O principal mercado, a cidade de São Paulo, ainda não sente os impactos, mas há dificuldades maiores no Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais, conforme afirmou o presidente da entidade, Sergio Mena Barreto.

De acordo com informações da UOL:

A Abrafarma afirma que as varejistas transportam diariamente de seus centros de distribuição às lojas uma quantidade de 6,3 milhões de unidades de medicamentos.

Esse volume equivale a transportar por dia em torno de 1% de tudo o que as varejistas venderam no primeiro trimestre de 2018. Considerando o faturamento da Abrafarma no trimestre, esse volume de unidades corresponde a R$ 120 milhões em vendas circulando diariamente nos caminhões.

Os prejuízos com a greve, no entanto, tendem a ser menores. Segundo Barreto, uma parte desse volume de unidades transportadas diariamente tem, sim, conseguido chegar às lojas.

Uma das preocupações no abastecimento das farmácias é com os medicamentos chamados “termolábeis”, que precisam ser mantidos sob refrigeração. A Abrafarma diz que, com veículos parados nas estradas, tem sido impossível manter estável a temperatura desses medicamentos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.