Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Grupo terrorista matou pai do presidente da OAB, diz Bolsonaro

Grupo terrorista matou pai do presidente da OAB, diz Bolsonaro
COMPARTILHE

“É muito fácil culpar os militares por tudo o que acontece. Isso mudou”, disse Bolsonaro.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a comentar sobre a morte do pai de Felipe Santa Cruz, atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Em uma rede social, nesta segunda-feira (29), Bolsonaro disse que o opositor do regime militar Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira foi morto pelo grupo terrorista Ação Popular do Rio de Janeiro, e não pelos militares.

A Comissão da Verdade, por outro lado, diz que Santa Cruz foi morto por membros do regime militar.

Mais cedo, Bolsonaro disse que, se o presidente da OAB quisesse saber como o pai morreu, ele contaria. Em resposta, Santa Cruz disse que o chefe do Executivo age com “crueldade” e sofre de “falta de empatia“.

Segundo o site G1, Bolsonaro declarou:

“Tinha o Santa Cruz, que era jovem, veio para o Rio de Janeiro. De onde eu obtive as informações? Com quem eu conversei na época, ora bolas. Conversava com muita gente. […]. E o pessoal da AP do Rio de Janeiro ficou, primeiro, ficaram estupefatos, ‘como é que pode esse cara vir do Recife se encontrar conosco aqui?’. O contato não seria com ele, seria com a cúpula da Ação Popular de Recife. E eles resolveram sumir com o pai do Santa Cruz. Essa é a informação que eu tive na época sobre esse episódio.”

E acrescentou:

“Qual é a tendência, se ele sabe, ‘nós não podemos ser descobertos’. E existia essa guerra naquele momento. Isso que aconteceu, não foram os militares que mataram ele, não, tá? É muito fácil culpar os militares por tudo o que acontece. Isso mudou. Mudou através do livro ‘A Verdade Sufocada’, o depoimento do Brilhante Ustra, entre outras pessoas, mostrou que uma guerra naquele momento era realmente um lado contra o outro.”

Para Bolsonaro, a Ação Popular era o “grupo terrorista mais sanguinário que tinha”, com ramificações no Brasil, como as de Recife e Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Comentários_

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião da RenovaMídia.

Ao comentar você concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE