Guaidó acusa Maduro de financiar protestos no Chile e Equador

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Entre hoje e amanhã vamos apresentar provas desse financiamento”, disse Guaidó sobre suposto apoio de Maduro aos protestos.

Juan Guaidó, presidente interino da Venezuela, acusou a ditadura de Nicolás Maduro de financiar protestos violentos com o objetivo de desestabilizar os países da região. 

Guaidó estava se referindo aos protestos violentos que afetaram recentemente o Equador e aos atos criminosos que agora assolam o Chile.

Em conversa com jornalistas, nesta terça-feira (22), na Assembleia Nacional nesta terça-feira (22), Guaidó declarou:

“Sabemos que tem sido prática do regime de Maduro e anteriormente de Chávez enviar financiamento através do Foro de São Paulo ao que ele chama de seus aliados. Entre hoje e amanhã vamos apresentar provas desse financiamento.”

Em discurso no último domingo (20), durante I Congresso Internacional de Comunas, Movimentos Sociais e Poder Popular, Diosdado Cabello, o número dois do regime chavista, disse que os protestos em países da América do Sul antecedem o “furacão bolivariano”.

Na última segunda-feira (21), como noticiou a RENOVA, o presidente do Equador, Lenín Moreno, classificou Maduro como um “asno” e o acusou de financiar as manifestações recentes.

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.