- PUBLICIDADE -

Guedes pede à PF para investigar ataque hacker

Guedes pede à PF para investigar ataque hacker

- PUBLICIDADE -

Segundo a assessoria de imprensa, o telefone do ministro foi hackeado na noite desta segunda-feira (22).

O Ministério da Economia informou, na manhã desta terça-feira (23), que enviará um ofício para o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, acerca do ataque cibernético recente.

O ministro Paulo Guedes pediu a Moro para acionar uma investigação da Polícia Federal (PF) no caso de invasão do seu telefone celular.

“Vários jornalistas receberam mensagens e ligações em nome do ministro por meio do aplicativo Telegram”, informou a assessoria de imprensa de Guedes na noite desta segunda-feira (22).

De acordo com o Ministério da Economia, segundo o jornal Correio Braziliense, Guedes nunca teve conta no aplicativo e pediu para que desconsiderem qualquer mensagem recebida do número antigo do ministro, que já foi desativado.

Como noticiou a Renova, a atual investigação da PF sobre os crimes cibernéticos contra autoridades brasileiras agora está concentrada em dois eixos: um inquérito em Curitiba e outro em Brasília.

Apesar da continuidade dos inquéritos, não há prazo para a conclusão das investigações, nem há certeza de que o ataque hacker será desvendado.

Confira a nota oficial da pasta de Guedes:

“O Ministério da Economia informa que está sendo apurada a possível invasão do telefone do ministro Paulo Guedes. Um ofício será enviado ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para que acione a Polícia Federal. Nessa segunda-feira (22), vários jornalistas receberam mensagens e ligações em nome do ministro por meio do aplicativo Telegram. O Ministério da Economia ressalta que o ministro nunca teve conta nesse serviço e pede para que desconsiderem qualquer mensagem recebida do número antigo do ministro, que já será desativado.”

PUBLICIDADE

- PUBLICIDADE -

TÓPICOS
COMPARTILHE
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -

- PUBLICIDADE -